BANDO TRAPOS - CURSOS ONLINE GRATUITOS

unnamed
O coletivo Bando Traposconseguiu adaptar parte da programaçãodo projeto Vozes do Campo Limpo, contemplado pela 4° edição do Fomento a Periferia e que estava em andamento quando foi determinado o isolamento social para conter a pandemia do covid-19 no Brasil.  Até o dia 17 de julho os interessados podem se inscrever aqui para participar do Núcleo de musicalização.

As atividades vão até o dia 25 de agosto, todas as terças-feiras, das 14 às 16 horas com orientação de Gabriel Ferreira, conhecido comoGago Ferreira. Os encontros acontecem via Zoom e o link é enviado por e-mail após a inscrição.

 


Gago Ferreira é multi-instrumentista de cordas dedilhadas e desenvolve os seus estudos e trabalhos com viola caipira, violão e guitarra. É estudante do quinto ano de Licenciatura em música pela Universidade Estadual Paulista - UNESP, tem a musicalidade paulistana como tema de seu trabalho de conclusão de curso e de sua Iniciação Científica, com o foco no Cordão Carnavalesco Barra Funda, de 1914. Também é estudante do curso de formação de Viola Caipira na Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP com o professor João Paulo Amaral.  

 


Outra possibilidade é oNúcleo Mulher em Cena - Comicidade Negra. Ele acontece sob a orientação deVanessa Rosaaté 05 de agosto, todas as quartas-feiras, das 16 às 18 horas. Não há prazo limite para as inscrições, mas o número de vagas é limitado (até 20 mulheres). “Nossa ideia é saudar, compartilhar e criar espaços de produção de saberes sobre os caminhos possíveis referente às comicidades negras e afro-indígenas, assim como o reconhecimento e o fortalecimento de mestres, coletivos, brincantes e artistas do riso”, explica Rosa.

 

Aqui o formulário para as inscrições.

atividades lúdicas

Dia 19 de julho às 15 horas o artesão e percussionista Tijolo vai mostrar como podem ser feitos alguns instrumentos de percussão, como pandeiros e tambores, com materiais recicláveis. Os interessados aprenderão como confeccionar, finalizar a dar acabamento nos instrumentos. Para participar não é preciso inscrição prévia e o link do evento será divulgado na página do Bando Trapos no Facebook no dia da ação. A mesma será transmitida também via Facebook.

Tijolo é o apelido que Genivaldo Amaral ganhou dentro da capoeira Angola Irmãos Guerreiros, onde é integrante desde 1992. Trabalhou por quatro anos na fabricação e na confecção de instrumentos percussivos no Instituto Tambor com Poeira. Também trabalhou por sete anos em Portugal como professor de capoeira e hoje é contramestre do grupo de Capoeira Angola Irmãos Guerreiros, integrante do grupo Candearte de Cultura Popular e artesão independente.

Bando Trapos recebe no Caldos e Causos

Filhas da Dita.jpeg
O encontro deste mês não será em torno da fogueira e com caldo quente, mas, como acontece desde 2015, o coletivo receberá um grupo, dessa vez o Filhas da Dita para a apresentação do espetáculo Baú de Histórias: Afromitologias, seguida de bate-papo dia 26 de julho às 16 horas via Zoom.  


Trata-se de uma contação de histórias para todas as idades, em que as Filhas da Dita resgatam, por meio de um espaço lúdico, poético, cênico e musical, mitos da cultura africana. São apresentadas histórias de diferentes orixás, como Iemanjá, Iansã, Oxum, Nanã, Oxalá e Exú através de uma aposta contemporânea de interpretação das atrizes e atores. O público é convidado a fazer parte das histórias, criando assim um espaço de troca de afeto e empatia. Duração: 30 minutos   

Para participar não é preciso inscrição prévia e o link do evento será divulgado na página do Bando Trapos pelo Facebook no dia da ação. A mesma será transmitida também via Facebook.


Edições anteriores
Envie seu evento
Conheça nossos pontos de distribuição
Quem Somos
Entre em contato
Marca da Agenda
Expediente
                       
               Patrocínio Apoio Realização
     
 Fundação Casa  Itaú Cultural