Pagode da 27: Grupo organiza doação de alimentos e ações de apoio na Zona Sul de São Paulo; “é a nossa identidade”

pagode da 27

O cenário e enredo de domingo são conhecidos: Comecinho da tarde, uma roda de samba de quase 400 pessoas toma as ruas do Grajaú, extremo sul de São Paulo: é o Pagode da 27. Desde o começo do isolamento provocado pela epidemia do Coronavírus, os domingos tem sido diferentes, mas se engana quem acha que o grupo simplesmente guardou o cavaco, o pandeiro e o tantan de lado.

O grupo tem organizado arrecadação e distribuição de alimentos na comunidade. A íntima relação do samba com a comunidade, explica Rafael Xavier, integrante da área social do pagode da 27, já fazia com que o grupo tivesse ações sociais voltadas para a comunidade, o impacto causado pelo Covid-19, fez com que essas ações aumentasse de maneira quase automática.

92611816 3488721837821505 2925829441131118592 n“Desde o princípio o projeto se desenvolveu em cima da questão social e num momento como esse obviamente entrariamos em ação. Tudo aquilo que ja foi feito antes do covid19 serviu para entrarmos com ainda mais força nessa ajuda humanitária.   E iremos ajudar o tempo que for necessário”, diz Xavier. Uma das ações que mais chamaram atenção, foi a ação do grupo de arrecadar e distribuir ovos de páscoa para as crianças.

Para Xavier, a preocupação com a comunidade “é nossa identidade”, indo muito além do encontro entre amigos para fazer música, conversar e se divertir. “Historicamente o Samba retratou o povo brasileiro, seus anseios, seus problemas, questões que acampanham o Samba desde o seu surgimento. Um não descola do outro nunca, e nesse contexto, nós que fazemos Samba na rua temos esse contato direto com nosso o povo e construímos nossa discografia tendo essa relação”.

Além de assumir o compromisso de manter e incentivar ações semelhantes, Xavier promete que, assim que o isolamento acabar e for seguro retomar as ‘aglomerações’, o próximo encontro do Pagode da 27 com o público será marcante. “ Será um encontro muito esperado. Certamente a emoção tomará conta. É difícil viver sem esse dupla Samba e o Povo”.

92911804 3483557618337927 4070674800903716864 oSobre expectativas para o futuro, ele também demonstrasse bastante confiante em relação a possibilidade de contruirmos novas formas de sociabilidade, de construir uma sociedade mais humanas. “Estamos nos redescobrindo e entendendo cada vez mais a idéia de viver coletivamente, de viver com menos dinheiro, de cuidar dos nossos. Um momento como esse que, de certa forma mostrou o quão frágil somos, trouxe mais humanidade pras pessoas.


fotos: Divulgação/Facebook


Edições anteriores
Envie seu evento
Conheça nossos pontos de distribuição
Quem Somos
Entre em contato
Marca da Agenda
Expediente
                       
               Patrocínio Apoio Realização
     
 Fundação Casa  Itaú Cultural