60 anos de Chapinha: “Vai demorar para digerir tanta felicidade”


chapinha2

Na última segunda-feira (05/02), diferente de tantas outras segundas na casa de cultura Santo Amaro, não foi apagar da vela que marcou a hora de acabar o samba, foi a emoção e a energia dos convidados da festa de aniversário do Chapinha, um dos fundadores do já tradicional e famoso Samba da Vela.

Além de contar da emoção de comemorar seu aniversário, reunindo amigos sambistas e não sambistas, José Marilton da Cruz, conta nessa entrevista para o Agenda da Periferia como foi ganhou o apelido de “Chapinha”, como o samba se tornou parte tão importante das suas seis décadas de vida, bem comos caminhos que o trouxeram do interior do Ceará até São Paulo.

 

Chapinha atou na pela Vai-Vai, por mais de 20 anos, onde foi compositor e chegou a ser presidente. Homenageado pelo Assembleia do Estado de São Paulo pela sua atuação e defesa do samba, já participou de várias coletâneas, gravou 2 CD's solo e e ainda deve lançar um dvd em 2018.


Alegria da alegria de completar 60 anos de idade, como é e o que significa comemorá-los na roda de samba que você ajudou a fundar?
Completar e comemorar 60 anos é um momento único, mágico e muito especial, principalmente entre amigos numa segunda feira de samba da vela onde recebemos amigos de várias regiões de São Paulo e de outra cidades. De uma certa forma esvaziados a audiência da novela nesse dia!

Comemorar no samba da vela, o qual sou um dos fundadores, não tenho muito como descrever tanta emoção, apenas agradecer a esta comunidade que me proporcionou uma festa linda, inesquecível, tenho certeza que vou demorar bastante tempo para digerir tanta felicidade, um significado imensurável

 

Como ´´José Marilton da Cruz´´ tornou-se o Chapinha?

Bom, o jose marilton trabalhou em uma fábrica de moves para escritório chamada Giroflex, onde lhe colocaram o apelido de cabrito o qual não foi bem vindo, foi ai que o José  Marilton tratou de eliminar o tal apelido, fezendo uma gargantilha ende pôs como crucifixo uma chapinha de identificação das cadeiras e passou a andar com ela no pescoço e, por isso passaram a me chamar assim: Chapinha

 

chapinha3De que forma se deu a sua aproximação com o samba? Foi após sua chegada em São Paulo ou no Ceará você já tinha contato?

Apesar de ter nascido no interior do Ceará o samba já vem veio na minha genética, até porque o meu pai,  Jose Aimateia, junto com os irmãos, Catão, Antonio e Lidio, todos solteiros, tinham um grupo de samba choro, isso na década de 40, o José Marilton veio o dá o Paulo no início dos anos 70 e quando se deparou com uma roda de samba numa beira de como o de futebol, caiu para dentro e nunca mais saiu! Comecei a compor samba no Ceará, aos 5 anos e meio

 

Dá para escolher se você prefere compor ou cantar sambas? Tem como escolher? E quais as características do ´´sambista Chapinha?´´
Bom, normalmente quem compõe gosta de cantar, mas se tivesse que escolher entre uma coisa e outra, o chapinha escolheria compor, trabalhar a inspiração é a o exército mais gostoso da vida, até porquê o compositor faz as pessoas viajarem juntos com ele em diversos caminhos, melódicos e poéticos

 

Muita gente sabe, mas é sempre bom falar para quem quiser ir conhecer, como surgiu a ideia do nome do samba da vela? A cor das velas muda?
O samba da vela surgiu em função da necessidade de se fazer Cultura e mais especialmente na cultura do samba? Ou seja, cultivar o samba inédito de linhagem tradicional para perpetuação do gênero. A ideia da vela foi criada ser o cronômetro, mas já percebemos que ela poderia ter outras funções e ai criamos as cores para definir as fazes do samba da vela e quando vamos montar um novo caderno as velascedtao ali para determinar essas fazes. 1ª fase, Vela rosa determina que os compositores vão mostrar os seus sambas pela primeira vez, durante 5 semanas. A vela azul determina que os sambas cantado na 1ª Fase vão ser cantado e na 2ª Fase, processo de escolha dos samba mais adequados para o caderno. 3ª fase, escolhidos os sambas e confeccionado o caderno e acendemos a vela branca até começarmos novamente o processo












Edições anteriores
Envie seu evento
Conheça nossos pontos de distribuição
Quem Somos
Entre em contato
Marca da Agenda
Expediente
                       
               Patrocínio Apoio Realização
     
 Fundação Casa  Itaú Cultural